Estatutos

Artigo 6°

  1. Membros Colaboradores ou Simpatizantes são aqueles que aceitam participar, no todo ou em parte, nas iniciativas com que a Casa Daniel procura realizar os seus objectivos, depois de admitidos pelo Conselho.
  2. Todos os Membros Colaboradores têm o dever de contribuir para que a Casa Daniel prossiga as suas finalidades, mediante a presença e colaboração, na medida em que tal lhes seja possível, nas actividades.
  3. Os Membros Colaboradores têm o direito de, facultativamente, tomar parte nas reuniões e actividades da Casa Daniel, e de estar ao corrente do calendário das mesmas.

Artigo 7°

  1. O Órgão fundamental da Casa Daniel é o Colégio de Fundadores.
  2. O Órgão Coordenador é o Conselho Directivo.
  3. A duração de todos os cargos sujeitos a eleições é de cinco anos, renováveis.

Artigo 8°

  1. O Colégio de Fundadores primariamente identifica a Casa Daniel como associação eclesial. Ele vive e irradia o espírito que preside à criação da instituição.
  2. O Colégio de Fundadores é formado por cristãos, no número máximo de vinte e quatro, que acolhem os objectivos da Casa Daniel e os mantêm vivos.
  3. Quando algum membro decidir abandonar este órgão ou tiver falecido, o Colégio de Fundadores decide sobre a entrada de novos membros da Associação para o seu lugar.

Artigo 9°

  1. A Casa Daniel estará aberta a colaborar com a Diocese de Lamego e outras instituições que se conjuguem com os seus objectivos.
  2. Dada a identidade da sua Associação, os membros da Casa Daniel procurarão levar aos organismos com que colaboram e aos espaços onde se inserem a espiritualidade que os anima.
  3. O Bispo da Diocese, ouvida a Direcção do Colégio de Fundadores, indicará o Assistente da Associação, que terá assento no Colégio de Fundadores.

Artigo 10°

  1. A Direcção do Colégio de Fundadores é constituída pelos seguintes elementos: um Presidente, um Vice-presidente e um Secretário.
  2. Os membros da Direcção do Colégio de Fundadores são eleitos pelos membros do mesmo, segundo as normas indicadas no artigo 21º, e a sua eleição homologada pelo Bispo Local.
  3. Para a Direcção do Colégio de Fundadores, se este assim o preferir, admite-se facultativamente que só o Presidente seja eleito, podendo ele apresentar à aprovação do Colégio, para aceitação mediante acordo de mais de metade dos membros, os restantes elementos da Direcção.
  4. O Assistente da Casa Daniel, ouvido o Colégio de Fundadores, tem a faculdade de substituir um ou mais elementos da Direcção, quando houver motivos sérios para tal.

Pages